Mensagens

O futuro da humanidade está nos velhos

Descobri hoje esta entrevista de Humberto Maturana, um neurobiólogo chileno que confesso não conhecia, mas com o qual não podia estar mais de acordo.

As crianças e jovens crescem e transformam-se com os mais velhos. São eles que transmitem princípios e dão exemplos. Ou seja, são os mais velhos que criam as bases do futuro.

Daí a grande responsabilidade dos mais velhos e (no meu caso concreto) o forte desejo de contribuir para que as minhas duas jovenzinhas venham a ser adultas conscientes e de valor(es).

Aconselho a leitura.

Aqui deixo o meu agradecimento e louvor a toda a equipa da Casa do Professor

No sábado passado, o incêndio numa garagem obrigou a evacuar (por mera precaução) o lar de idosos da Casa do Professor em Aveiro.

Assim que soube, corri para lá e deparei-me com os idosos evacuados devidamente acomodados no mercado próximo, muito bem tapadinhos com mantas emprestadas pelo infantário vizinho e rodeados por uma grande equipa de profissionais que prima pelo zelo e carinho dado aos utentes.

Tudo decorreu de forma muito serena e, pouco tempo depois, os idosos regressaram ao lar sãos e salvos.

E se há momentos em que não se devem poupar elogios, este é um deles.

A equipa da Casa do Professor de Aveiro foi (é) excelente. Os que não estavam a trabalhar, ao terem conhecimento, acorreram para ajudar e o grande susto que foi para todos não passou disso mesmo.

Um bem haja também à equipa directiva  da associação que tem noção da importância de realizar simulacros cuja utilidade ficou bem evidente neste caso.

Por isso mesmo não podia deixar de agradecer publicamente o excelente tr…

"A burra da presidente"

A expressão “burra da presidente” não é ofensiva da honra e consideração da ofendida no caso presente, pois o arguido usa o qualificativo “burra” de forma isolada e lateral face à centralidade da crítica ao desempenho autárquico da ofendida contida no texto, o que é tanto mais relevante quanto é ao nível da freguesia que as relações entre eleitos e eleitores serão mais próximas e igualitárias, sendo certo que “sem pluralismo, tolerância e espírito de abertura, não existe sociedade democrática”.  
- Acordão do Tribunal da Relação de Évora, de 28 de Janeiro de 2018 -

Que delícia de leitura, para quem gosta de novelas jurídicas. Podem lerAQUI.

Acórdão do Tribunal da Relação de 

"Temos de ter juízo"

Nada como começar o dia a ouvir palavras sábias (e digo-o sem ponta de ironia) - "temos de ter juízo".

E quando essas palavras sábias são proferidas por Alberto João Jardim (a quem eu acho um piadão), não há como deixar de soltar uma gargalhada.

Logo, posso dizer que comecei o dia a gargalhar, não só com o conselho como com o remate das declaração "nem por mim ponho a mão no fogo". Tem piada, ponto.

A irmã do meio

Imagem
Eu caminho (a passos largos) para os 41; ela (passos mais lentos) para os 37.
Antes de nascer ameaçava deitá-la  ao lixo.
Não o fiz e agora arco com as consequências.
Continua (continuará sempre, parece-me) a apagar-me a luz da casa de banho e eu a responder com insultos, acompanhados de ameaças de pancada que ficam sempre por cumprir, até porque tem mais força que eu.
Bem lá no fundo é boa irmã (não acredito que disse isto) e excelente tia.
Continuaremos cão e gato até ao fim dos nossos dias.
Afinal, só nos metemos com aqueles de quem gostamos.








Cérebro pequeno

Andam muitos (cada vez mais felizmente) a defender a primazia da beleza interior sobre a exterior, e a tudo fazer para outros tantos deixem de tomar as pessoas por objectivos decorativos, e outros (no caso concreto outra) a queixar-se que determinada companhia aérea tem hospedeiras gordas e feias.

Ouvi esta pérola hoje (ao vivo e a cores) e acho que ainda tenho o queixo meio descaído, o que é chato desde logo porque me acentua a barbela.

Resumindo, bem pode a malta da fórmula 1 e do ciclismo correr que o trabalho é duro quando existem por aí cérebros tão pequenos.